27 de maio de 2015

Poemas coletivos A5ºA e A5ºC


As docentes Elvira Sousa e Luísa Silva propuseram aos seus alunos a criação de poemas coletivos a partir do mote "se eu fosse...".
Da inspiração de cada um dos alunos das turmas do A5ºA e A5ºC resultaram estes dois poemas.

24 de maio de 2015

Poesia Visual

video
Na poesia visual letras, palavras, traços e cor unem-se na perfeição conjugando a expressão visual com a poesia.

A professora Elvira Sousa desafiou as suas turmas do 5º ano a experimentarem este tipo de linguagem e eis o resultado da inspiração e  criatividade destes alunos. 

Em breve publicaremos mais trabalhos de Poesia Visual.

22 de maio de 2015

Conto Andarilho


Uma iniciativa da Biblioteca Municipal de Valongo em colaboração com os docentes do 3º ano do 1º ciclo do ensino básico e as bibliotecas escolares do concelho.

20 de maio de 2015

Dia do Patrono - D. Januário Torgal Ferreira visita a Escola D. António Ferreira Gomes

video



O aniversário do nascimento do patrono da Escola D. António Ferreira Gomes, a 10 de maio, foi celebrado com a visita à escola de D. Januário Torgal Ferreira, Bispo Emérito das Forças Armadas, no dia 15 de maio, para dialogar com a comunidade educativa sobre "O sonho da Cidadania".
Os alunos do Clube de Música da Escola Secundária de Ermesinde e da Escola Básica D. António Ferreira Gomes, dirigidos pela professora Hermínia Silva, deram as boas-vindas aos convidados com a interpretação de duas peças para flauta. 
A evocação de D. António Ferreira Gomes, patrono da escola, foi feita através da leitura de um poema que Sophia de Mello Breyner Andresen, pela aluna Carolina Pinho do A6ºC.
D. Januário Torgal Ferreira, o orador convidado, foi apresentado pela professora Conceição Vasconcelos, que lhe passou a palavra.
Tendo convivido de perto com o antigo bispo do Porto, de quem foi chefe de gabinete, D. Januário Torgal Ferreira alicerçou o seu discurso sobre “O sonho da cidadania” na análise da situação atual do mundo, do país e do sistema de ensino, procurando no pensamento de D. António Ferreira Gomes a defesa de uma cidadania mais responsável de toda a comunidade, desde os dirigentes políticos e económicos ao comum dos cidadãos.
No fim desta da sua palestra, o Diretor do Agrupamento, Dr. Álvaro Pereira, congratulou-se com a presença e as palavras de D. Januário Torgal Ferreira, presenteando-o com uma monografia da cidade de Ermesinde. Agradeceu também a presença do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Valongo, do Senhor Vereador do Pelouro da Educação, do Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, do Senhor Pároco da cidade e de todos os presentes.
A sessão terminou com um Porto de Honra, servido na biblioteca desta escola, que proporcionou momentos de convívio e boa disposição entre todos os convidados.

10 de maio de 2015

A propósito do estudo da obra "A vida mágica da Sementinha"



António Alves Redol nasceu em Vila Franca de Xira, a 29 de dezembro em 1911, e morreu a 29 de novembro de 1969.
Queria ser médico, mas, devido à influência do seu avô, bem como do contacto e da admiração pelos jornalistas e escritores, fez com que aos 14 anos começasse a colaborar (com textos) para semanários e jornais.
Foi considerado como um dos expoentes máximos do neorrealismo português.
Alves Redol teve origem nos espaços rurais, com uma infância marcada pela pobreza, já que o seu pai era um pequeno comerciante.
Em função disso, começou desde cedo a trabalhar. Presenciou, desde essa altura, as péssimas condições de vida do homem rural, o que mais tarde se veio a refletir preponderantemente na sua escrita.


José Nunes   E5ºB


Ivan Vladimirovich Michurin
Foi médico e pesquisador russo, membro Honorário da Academia de Ciências da União Soviética, e académico da União das Academias de Agricultura Lenin.
Em 1875, Michurin alugou um terreno com cerca de 500 metros quadrados não muito longe de Tambov, onde começou a recolher plantas, e iniciou a sua investigação em pomologia e seleção.
Em 1899,  adquiriu uma maior faixa de terra, cerca de 130.000 metros quadrados, e levou para lá os seus laboratórios.
Em 1920, logo após o final da Guerra Civil Russa, Vladimir Lenin ordenou ao Comissário Popular da Agricultura, Semion Sereda, que organizasse uma investigação analítica sobre as obras e  realizações de Michurin.
Em 20 de novembro de 1923, o Conselho Popular de comissários reconheceu o "Pomar" de Michurin como uma "instituição de importância para o Estado".
Em 1928, os soviéticos estabeleceram uma Unidade de Pesquisa genética com base nas pesquisas do "pomar" de Michurin, o que acabou sendo reorganizado como o Laboratório Central de Genética em 1934.
Michurin contribuiu significativamente para o desenvolvimento da genética, especialmente no campo da pomologia. No seu laboratório de citogenética, pesquisou a estrutura celular e experimentou poliploidia artificial.
Michurin estudou aspetos da hereditariedade, em ligação com o curso natural da ontogénese e influência externa, criando um novo conceito de predominância.
Provou que a hereditariedade depende da predominância, conceitos sobre a ontogénese, filogénese e sobre a estrutura inicial da célula, além de estudos sobre características individuais dos híbridos e das condições de cultivo.
Nas suas obras, Michurin assumiu a possibilidade da mudança de genótipo sob influência externa.

João Martinho   E5ºB




Mark Carleton nasceu a 3 de julho de 1866, nos Estados Unidos, e morreu a 25 de abril de 1925, aos 58 anos no Peru. Carleton era botânico e ficou conhecido pelo tempo que dedicou ao estudo das diferentes variedades de trigo. Quando esteve a trabalhar na Rússia, Carleton adquiriu uma série de variedades de cereais para testar nos Estados Unidos, sendo responsável pela introdução do trigo vermelho e trigo duro.    

Gonçalo Figueiredo  E5ºB


5 de maio de 2015

A "Hora do Conto" vista pelos alunos da EPE da Escola Básica da Gandra


No âmbito da "Hora do Conto", e em articulação com a Biblioteca Escolar, os alunos da EPE da Escola Básica da Gandra dedicaram alguns momentos à expressão plástica. 
Verdadeiros artistas, mostram-nos a genialidade e a criatividade da infância.


video

A menina e o burro

"Envolve-me e eu aprenderei".

Na Escola Básica da Bela, os alunos do 3º B, orientados pela docente Ana Duque, mostram-nos que em contexto de sala é possível desenvolver várias competências. 

Vejam e comentem!


video

Parabéns ao pequenos atores!

4 de maio de 2015

Li... e sugiro



Eu, Beatriz Costa, do B 4º A, estive 6 dias com as autoras Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães, lendo a obra “Uma aventura nos Açores”. Gostei de ler este título, pois fiquei a conhecer melhor o arquipélago dos Açores.
Também descobri que as personagens Teresa, Luísa, Pedro, João e Chico são reais, assim como os cães. Bem, isto foi contado quando a escritora Isabel Alçada visitou a Escola Básica da Bela.
Também gostei da obra “O lobo prateado”. Mas a minha obra preferida foi “Uma aventura em Macau”.

Ler leva-nos mais longe. Por isso, lê! Porque ler é o que está a dar!

Beatriz Lopes

2 de maio de 2015

Ler é o que está a dar na Escola Básica de Sampaio

Porque só há uma infância é preciso documentá-la! 

Pelas mãos da educadora Adelina Maia.


"É fundamental que a criança possa vivenciar a palavra e a escuta em todas as suas possibilidades, explorando diferentes linguagens, capturando-as e apropriando-se do mundo que a cerca, para que este se desvele diante dela e se torne fonte de interesse vivo e permanente, fonte de curiosidade, de espantos de desejos e descobertas, numa dinâmica em que ela se socialize e se manifeste de forma ativa, criativa, participativa em qualquer situação, não apenas “recebendo” passivamente, mas produzindo e (re)produzindo cultura" (JORGE, 2003, p.9)



video